Translate

Top vídeos

Loading...

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Testemunho - Marcos Andrade Abrão

ATENÇÃO, ABAIXO O MEU TESTEMUNHO PESSOAL E COMO CHEGUEI AO JUDAÍSMO DA UNIDADE.
     
     O Rosh (líder) da Beit El Shamah, Marcos Andrade Abrão,  descobriu sua judaicidade e retornou ao Judaísmo, passando pelo processo de Teshuvá (retorno e conversão), que inclui a circuncisão. Tendo nascido em Recife e descendente dos judeus que foram forçados à conversão, desde cedo se inclinou ao judaísmo, fato comum a todos os b’nei anussim (filhos e descendentes dos judeus forçados à conversão). Já na adolescência começou sua busca espiritual, tendo uma experiência com o Eterno aos 13 anos de idade. A partir daí começou uma busca intensa para encontrar um caminho seguro em direção ao Eterno, participando de vários movimentos e grupos religiosos. Após uma busca exaustiva teve outra experiência com o Eterno, mas desta vez através de Yeshua, fato que trouxe uma transformação profunda na sua vida. Passou então a ensinar e levar a mensagem da salvação através de Yeshua, fundando a Associação Pedras Vivas, que posteriormente se transformou no Ministério Pedras Vivas. Este ministério foi acolhido pela Irmandade Metodista Ortodoxa, e em 13 Novembro de 2001 foi ordenado ao cargo de pastor por líderes desta denominação, com atribuições de Ministro de Confissão Religiosa, fato registrado em Ata. Mas sua busca continuou e em contato com o Judaísmo Messiânico despertou para sua judaicidade, migrando posteriormente para o movimento judaico messiânico e se desligando da Irmandade Metodista Ortodoxa. Fundou a Congregação judaico messiânica Beit Shamayim e entre outros eventos participou de um congresso judaico messiânico nos EUA, o que o motivou a se filiar ao IAMCS (International Alliance of Messianic Congregations and Synagogues). Mas, pela visão na Unidade do Eterno que difere da doutrina da trindade, não foi possível continuar a comunhão com esta organização. Ressaltando-se que o desligamento foi por razões doutrinárias e no tempo em que esteve nesta organização foi tratado e tratou a todos com muito respeito e consideração. Da mesma forma, quando esteve na Irmandade Metodista Ortodoxa, foi também tratado com muito respeito e consideração e destas organizações só guarda boas lembranças. 
     
     Ao completar sua teshuvá, a qual foi certificada por um Mohel (especialista no judaísmo tradicional para fazer a B’rit Milá ‘circuncisão”) o Rosh Marcos Andrade Abrão aprofundou seu relacionamento com o Eterno e no conhecimento da Torah e nos escritos Rabínicos. Após a Teshuvá adotou o nome judaico: Yossef Ben Avraham, e o pseudônimo de Marcos Andrade Abrão, substituindo o nome Fernandes, de onde veio sua descendência judaica, pelo sobrenome Abrão, a fim de marcar seu retorno ao Judaísmo. 
     
     Pelo rumo que o Judaísmo Messiânico tomou, bem clarificado na declaração do “Quem Somos” do ACJU (Associação de Congregações Judaicas da Unidade), o Rosh Marcos Andrade Abrão junto com outros líderes, inauguraram o Judaísmo da Unidade, que entre outras coisas propaga um Judaísmo identificado com Israel, com o povo judeu e com todas as pessoas de qualquer nação ou etnia que através do testemunho de Yeshua se converteram ao Eterno. Daí veio a Beit El Shamah, que não se enquadra mais no modelo de uma congregação judaico messiânica, mas na visão do Judaísmo da Unidade. A Beit El Shamah está filiada ao ACJU (Associação de Congregações Judaicas da Unidade), Associação idônea e devidamente registrada na cidade do Rio de Janeiro para representar o Judaísmo da Unidade.

     O Judaísmo da Unidade inaugura uma nova proposta de Judaísmo que tem o testemunho de Yeshua, mas não perde sua identidade judaica. O Judaísmo da Unidade declara que o Eterno é Um, que Yeshua é o Messias e que a Torah (Lei) é o padrão imutável que foi estabelecido pelo Eterno. Mas acima de tudo o Judaísmo da Unidade tem um real compromisso com a verdade.

    A BEIT EL SHAMAH REPRESENTA O JUDAÍSMO DA UNIDADE E NÃO O JUDAÍSMO MESSIÂNICO.

     A Beit El Shamah representa o Judaísmo da Unidade, e não o Judaísmo Messiânico, que tem seus próprios representantes. O Judaísmo da Unidade difere em muito do Judaísmo Messiânico e surge como uma nova proposta de um Judaísmo que tem o testemunho de Yeshua, mas não perde sua identidade judaica. O Judaísmo da Unidade declara que O Eterno é Um, que Yeshua é o Messias e que a Torah (Lei) é o padrão imutável que foi estabelecido pelo Eterno.


     Shalom!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.